Páginas

domingo, 31 de julho de 2016

Resumão - Língua Portuguesa - Linguagem e Interação

Mensagem é a informação (sinais codificados, língua) que um emissor (locutor) transmite a um receptor (interlocutor) por meio de um canal.
A comunicação ocorre quando a mensagem transmitida é decodificada (compreendida).

Código é um sistema de sinais preestabelecidos entre emissor (locutor) e receptor (interlocutor) empregado para a transmissão de mensagens.
A língua é um sistema de sinais comum a todos os indivíduos de uma determinada comunidade.
Linguagem é a propriedade do ser humano de representar o pensamento por meio de sinais codificados com o intuito de comunicar-se com outro ser humano.

Norma culta ou norma-padrão é a variedade linguística de maior prestígio social usada numa comunidade.
Norma popular são todas as variedades linguísticas diferentes da língua-padrão.
Variedades linguísticas são as diferentes variações da língua, de acordo com os padrões de uso que ela pode manifestar.

Variedades de norma: dialetos (norma culta e normas populares).
Variedades de estilo: registros (formal, informal ou coloquial).

Gíria é um dialeto linguístico que apresenta um vocabulário específico, criado por um grupo social jovem, que o distingue da língua-padrão.
Jargão é a gíria ligada a uma profissão.

Variedades regionais: são as variedades típicas de determinadas regiões; aspectos distintivos importantes são o vocabulário e a pronúncia.
Variedades sociais: são as variedades de grupos de uma sociedade; aspecto distintivo importante é o estrato social.

Língua oral ou falada: mais alusiva, traços gramaticais (frases onomatopeicas e exclamativas, formas contraídas e frases cortadas, comparações e expressões populares), recursos expressivos (acentuação, entonação, pausas), significados não-verbais (expressão fisionômica, gestos, postura corporal).
Língua escrita: mais precisa, menos econômica, traços gramaticais (frases perifrásticas e assertivas, formas e frases inteiras), recurso importante (pontuação).

Discurso é a língua no ato, na sua execução individual.
Intencionalidade discursiva são as intenções, mais ou menos evidentes, dos interlocutores que fazem parte de uma interação verbal.

Função emotiva ou expressiva: ênfase no locutor ou emissor da mensagem.
Função conotativa ou apelativa: ênfase no interlocutor, a quem se deseja influenciar.
Função fática ou de contato: o objetivo do emissor é manter aberto o canal de comunicação.
Função referencial ou denotativa: ênfase no referente, ou seja, há uma informação a ser passada de modo objetivo.
Função poética: ênfase na própria mensagem que é trabalhada pelo poeta.

Leila Lauar Sarmento. Gramática em textos - Editora Moderna 

Nenhum comentário :

Postar um comentário