Páginas

sábado, 30 de julho de 2016

A Organização das Nações Unidas (ONU)

          A ONU foi criada em 1945 pela Conferência de São Francisco, com o objetivo de assegurar a paz mundial e promover a cooperação entre os países.
          Apesar disso, desde sua criação, não se pôde impedir que ocorressem, no mundo, centenas de conflitos que levaram à morte mais de 20 milhões de pessoas.
          Quase todos os países do planeta participam da ONU, que é formada por vários órgãos e por uma série de agências especializadas, como: Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Conta também com programas e organizações como o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).
          Entre os princípios da Carta das Nações Unidas está registrado que todos os Estados-membros são soberanos e iguais entre si. As resoluções tomadas pela Assembleia Geral, onde cada país tem direito a um voto, têm que ser aprovadas por pelo menos nove dos quinze países que formam o Conselho de Segurança (cinco membros permanentes e dez temporários). No entanto, apenas os cinco membros permanentes (Estados Unidos, Rússia, França, Reino Unido e China) têm poder de veto.
          A estrutura da ONU é bastante questionada no mundo atual. Isso porque emergiram outras potências mundiais, como Japão e Alemanha, que não têm representação permanente no Conselho de Segurança e emergiram também outras nações, como Índia e Brasil, que são populosas e apresentam relativa influência entre os países subdesenvolvidos.
          Outra crítica é que ela ainda representa a ordem mundial definida pelos vencedores da Segunda Guerra Mundial. Além disso, os Estados Unidos têm sido acusados de conquistar votos para questões de seu interesse, oferecendo ajuda financeira aos países mais pobres, e de não acatar as resoluções que afetam seus objetivos internacionais.
          A aparente representatividade dos países na Assembleia Geral é também questionável quando se observa que o peso do voto de Tuvalu, com apenas 10 mil habitantes, é equivalente ao da Índia, que tem mais de um bilhão de habitantes. Além disso, em diversos momentos, as resoluções da ONU não têm sido respeitadas, o que coloca em cheque sua capacidade de mediar e impedir os conflitos mundiais, objetivos para os quais foi criada.

Elian Alabi Lucci, Anselmo Lazaro Branco, Cláudio Mendonça. Território e Sociedade no Mundo Globalizado - Editora Saraiva

Nenhum comentário :

Postar um comentário