Páginas

domingo, 31 de julho de 2016

Resumão - Língua Portuguesa - Linguagem e Interação

Mensagem é a informação (sinais codificados, língua) que um emissor (locutor) transmite a um receptor (interlocutor) por meio de um canal.
A comunicação ocorre quando a mensagem transmitida é decodificada (compreendida).

Código é um sistema de sinais preestabelecidos entre emissor (locutor) e receptor (interlocutor) empregado para a transmissão de mensagens.
A língua é um sistema de sinais comum a todos os indivíduos de uma determinada comunidade.
Linguagem é a propriedade do ser humano de representar o pensamento por meio de sinais codificados com o intuito de comunicar-se com outro ser humano.

Norma culta ou norma-padrão é a variedade linguística de maior prestígio social usada numa comunidade.
Norma popular são todas as variedades linguísticas diferentes da língua-padrão.
Variedades linguísticas são as diferentes variações da língua, de acordo com os padrões de uso que ela pode manifestar.

Variedades de norma: dialetos (norma culta e normas populares).
Variedades de estilo: registros (formal, informal ou coloquial).

Gíria é um dialeto linguístico que apresenta um vocabulário específico, criado por um grupo social jovem, que o distingue da língua-padrão.
Jargão é a gíria ligada a uma profissão.

Variedades regionais: são as variedades típicas de determinadas regiões; aspectos distintivos importantes são o vocabulário e a pronúncia.
Variedades sociais: são as variedades de grupos de uma sociedade; aspecto distintivo importante é o estrato social.

Língua oral ou falada: mais alusiva, traços gramaticais (frases onomatopeicas e exclamativas, formas contraídas e frases cortadas, comparações e expressões populares), recursos expressivos (acentuação, entonação, pausas), significados não-verbais (expressão fisionômica, gestos, postura corporal).
Língua escrita: mais precisa, menos econômica, traços gramaticais (frases perifrásticas e assertivas, formas e frases inteiras), recurso importante (pontuação).

Discurso é a língua no ato, na sua execução individual.
Intencionalidade discursiva são as intenções, mais ou menos evidentes, dos interlocutores que fazem parte de uma interação verbal.

Função emotiva ou expressiva: ênfase no locutor ou emissor da mensagem.
Função conotativa ou apelativa: ênfase no interlocutor, a quem se deseja influenciar.
Função fática ou de contato: o objetivo do emissor é manter aberto o canal de comunicação.
Função referencial ou denotativa: ênfase no referente, ou seja, há uma informação a ser passada de modo objetivo.
Função poética: ênfase na própria mensagem que é trabalhada pelo poeta.

Leila Lauar Sarmento. Gramática em textos - Editora Moderna 

sábado, 30 de julho de 2016

A Organização das Nações Unidas (ONU)

          A ONU foi criada em 1945 pela Conferência de São Francisco, com o objetivo de assegurar a paz mundial e promover a cooperação entre os países.
          Apesar disso, desde sua criação, não se pôde impedir que ocorressem, no mundo, centenas de conflitos que levaram à morte mais de 20 milhões de pessoas.
          Quase todos os países do planeta participam da ONU, que é formada por vários órgãos e por uma série de agências especializadas, como: Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Conta também com programas e organizações como o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).
          Entre os princípios da Carta das Nações Unidas está registrado que todos os Estados-membros são soberanos e iguais entre si. As resoluções tomadas pela Assembleia Geral, onde cada país tem direito a um voto, têm que ser aprovadas por pelo menos nove dos quinze países que formam o Conselho de Segurança (cinco membros permanentes e dez temporários). No entanto, apenas os cinco membros permanentes (Estados Unidos, Rússia, França, Reino Unido e China) têm poder de veto.
          A estrutura da ONU é bastante questionada no mundo atual. Isso porque emergiram outras potências mundiais, como Japão e Alemanha, que não têm representação permanente no Conselho de Segurança e emergiram também outras nações, como Índia e Brasil, que são populosas e apresentam relativa influência entre os países subdesenvolvidos.
          Outra crítica é que ela ainda representa a ordem mundial definida pelos vencedores da Segunda Guerra Mundial. Além disso, os Estados Unidos têm sido acusados de conquistar votos para questões de seu interesse, oferecendo ajuda financeira aos países mais pobres, e de não acatar as resoluções que afetam seus objetivos internacionais.
          A aparente representatividade dos países na Assembleia Geral é também questionável quando se observa que o peso do voto de Tuvalu, com apenas 10 mil habitantes, é equivalente ao da Índia, que tem mais de um bilhão de habitantes. Além disso, em diversos momentos, as resoluções da ONU não têm sido respeitadas, o que coloca em cheque sua capacidade de mediar e impedir os conflitos mundiais, objetivos para os quais foi criada.

Elian Alabi Lucci, Anselmo Lazaro Branco, Cláudio Mendonça. Território e Sociedade no Mundo Globalizado - Editora Saraiva

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Islamismo e história da Arábia

Enquanto o cristianismo consolidava-se no mundo bizantino, em uma região do Oriente médio – a Arábia – os povos que ali viviam se uniram em torno de um profeta (Maomé) e de uma nova religião (o islamismo).
Nos séculos seguintes, a cultura árabe-islâmica expandiu-se pelo Oriente médio e regiões do Mediterrâneo. Isso impactou a arquitetura, a culinária, a música e a língua em diversos lugares.


Assim como as duas outras grandes religiões monoteístas, as raízes do islamismo vêm do profeta Abraão. O profeta Maomé, fundador do islamismo, seria descendente do primeiro filho de Abraão, Ismael. Moisés e Jesus seriam descendentes do filho mais novo de Abraão, Isaac. Abraão, o patriarca do judaísmo, estabeleceu as bases do que hoje é a cidade de Meca e construiu a Caaba - todos os muçulmanos se voltam a ela quando realizam suas orações, é o principal local sagrado do islamismo. Para os muçulmanos, o islamismo é a restauração da fé de Abraão.


A história do islamismo confunde-se com a história da Arábia. A civilização árabe-islâmica surgiu e irradiou-se a partir da península Arábica, situada no sudoeste da Ásia, por volta do (c. século VI). A Arábia não teve unidade política até o século VII, viviam na península Arábica diversos povos, organizados em tribos ou clãs. Os árabes ligavam-se uns aos outros apenas pelo laços de parentesco e por elementos culturais comuns – falavam  o mesmo idioma (apesar das variações regionais) e possuíam as mesmas crenças religiosas (eram politeístas, adorando centenas de divindades).
Na cidade de Meca, havia um templo conhecido como Caaba (“casa de Deus”), que reunia os ídolos (estátuas) das principais divindades cultuadas pelos árabes. Na Caaba, encontrava-se também a Pedra Negra (provavelmente um pedaço de meteorito), venerada pelos árabes, que acreditavam ter sido milagrosamente trazida do céu por um anjo.
A existência desse templo na cidade de Meca fazia dela um importante ponto de convergência de fiéis, colaborando para que ela se tornasse também o principal centro comercial dos árabes. Nos períodos de paz, a cidade transformava-se num movimentado ponto de encontro, recebendo pessoas e mercadorias de diversas regiões. Nela, realizavam-se grandes negócios comerciais.


A construção do Estado árabe iniciou-se com Maomé (570-632), um mercador da cidade de Meca que fundaria o islamismo, religião monoteísta cujos seguidores também são chamados de muçulmanos.
Segundo a tradição islâmica, aos 40 anos de idade Maomé (“o mais louvado”) teria sido escolhido por Deus para ser o último profeta enviado a humanidade. Maomé reuniu a base da fé islâmica num conjunto de versos conhecido como Corão - segundo ele, as escrituras foram reveladas a ele por Deus por intermédio do Anjo Gabriel.
Quando iniciou suas pregações, Maomé dizia que os ídolos da Caaba deviam ser destruídos, pois havia um só deus criador do universo, Alá. Isso provocou a reação dos sacerdotes de Meca, já que, além de atacar a religião que eles representavam, o profeta poderia prejudicar o comércio gerado pelos rituais politeístas na cidade. Obrigado a deixar Meca em 622, Maomé, refugiou-se em Yathrib (posteriormente denominada Medina, “a cidade do profeta”). Esse episódio é chamado de Hégira (palavra de origem árabe que significa “emigração”) e marca o início do calendário muçulmano.
Maomé e seu seguidores difundiram a nova religião em Medina e organizaram um exército de fiéis. Em 630, conquistaram Meca e destruíram os ídolos da Caaba, Maomé perdoou os inimigos e iniciou a consolidação da religião islâmica. A partir daí o islamismo expandiu-se pela Arábia, e os diversos povos foram se unificando em torno da nova religião.

Assim, por meio da identidade religiosa, criou-se uma nova organização política e social entre eles e formou-se o Estado muçulmano, de governo teocrático. Após a morte de Maomé, em 632, o Estado muçulmano passou a ser governado por califas, quem concentrava os poderes religioso, político e militar.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Alguns dos erros mais cometidos

1-  "Fazem 10 anos que vemos tantas mudanças".
O verbo fazer no sentido temporal de tempo decorrido, fenômeno atmosférico é impessoal, ou seja, fica no singular. Faz 10 anos.

2- "Houveram muitas passeatas nesta semana em prol da igualdade racial."
O verbo haver acompanha o mesmo raciocínio do verbo "fazer" citado acima. No sentido de existir ou na ideia de tempo decorrido, o verbo haver é impessoal. Houve muitas pessoas.

3- Para "mim" escolher, preciso de um tempo.
Na dúvida verifique quem é o sujeito do verbo. No caso, o verbo escolher não tem sujeito, pois "mim" não pode ser. O certo é o pronome eu, para eu escolher. A expressão "para mim" só funciona quando é objeto direto. Traga essa folha para mim.

4- "Então, pegou ele pela gola."
Quando for necessário que um pronome seja objeto direto (pegou algo: ele), nunca coloque pronome pessoal, opte pelo caso oblíquo átono (me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, se, os, as, lhes). Pegou-o, avisou-o, levou-nos, leva-nos.

5- "Esse ano vamos fazer diferente."
Se é o ano vigente, então use o pronome este, uma vez que indica proximidade: Esta sala de aula, esta semana está sendo ótima, este dia está sendo abençoado, esta noite veremos estrelas.

6- "Aonde você estava?"
Aonde indica ideia de movimento "onde" refere-se somente a lugar. Portanto: Onde você estava? E aonde nós vamos agora?

7- "A situação vinha de encontro ao que ele desejava."
Se é uma situação que a pessoa desejava, será: ao encontro de, expressão que designa favorecimento, estar de acordo. Já a locução "de encontro" tem sentido de oposição de choque. Ele foi de encontro ao poste.


quarta-feira, 27 de julho de 2016

Resumão - Química - Soluções


Misturas homogêneas: uma fase - a composição é a mesma em toda a amostra.
Misturas heterogêneas: mais de uma fase - é possível identificar diferentes componentes na mistura.

Alguns sistemas estão entre as misturas homogêneas e heterogêneas:
- Dispersão coloidal ou colóide (1 a 1000nm) Ex: leite, gelatina em água.
- Suspensões (>1000 nm) Ex: areia em água.

Técnicas de separação:
Decantação - diferença de densidade
Filtração - diferença de solubilidade
Destilação - diferença do ponto de ebulição
Cromatografia - diferentes habilidades das substâncias de se adsorver

Solução - É uma mistura homogênea de duas ou mais substâncias em uma única fase.
        - solvente em MAIOR quantidade
        - soluto em MENOR quantidade

As soluções também podem ser:
- gasosas: ar que respiramos (N2, O2, CO2, vapor de água e outros gases)
- sólidas: ouro 18 quilates (Au75%, Cu e Ag 25%), latão (Cu e Zn), bronze (Cu e Sn)

"Semelhante dissolve semelhante"
"igual dissolve igual"

Muitos sólidos iônico são solúveis em água:
- Devido a atração entre os dipolos da água e as cargas positivas e negativas dos íons do composto.

A partir do "ponto de saturação" toda quantidade adicional de soluto que for colocada no sistema, irá depositar ou precipitar no fundo do recipiente.

O "ponto de saturação" depende:
- do soluto
- do solvente
- das condições físicas de temperatura e pressão.

O ponto de saturação é definido como coeficiente ou grau de solubilidade.

Concentração - são unidades de medidas para determinar a quantidade de soluto em uma solução.

Concentração percentual: os químicos representam a concentração percentual de três maneira:
- Massa por volume (% m/v)
-Massa por massa (% m/m)
- Volume por volume (% v/v)

Concentração por quantidade de matéria: (mol/L)

Densidade - é a razão da massa da solução pelo volume da solução dada em L ou mL.

Diluição - quando é adicionado solvente a uma solução para diminuir a concentração de soluto.
A quantidade total de matéria não muda, mas a concentração é diminuída.
C1.V1 = C2.V2