Páginas

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

A filosofia de Rousseau

A filosofia de Jean-Jacques Rousseau tem como essência a crença de que o Homem é bom naturalmente, embora esteja sempre sob o jugo da vida em sociedade, a qual o predispõe à depravação. Para ele o homem e o cidadão são condições paradoxais na natureza humana, pois é o reflexo das incoerências que se instauram na relação do ser humano com o grupo social, que inevitavelmente o corrompe.
É assim que o Homem, para Rousseau, se transforma em uma criatura má, a qual só pensa em prejudicar as outras pessoas. Por esta razão o filósofo idealiza o homem em estado selvagem, pois primitivamente é generoso.
Ele estabelece três etapas evolutivas na jornada do homem. O primeiro estágio refere-se ao homem natural, subjugado pelos instintos e pelas sensações, sujeito ao domínio da natureza; o segundo diz respeito ao homem selvagem, já impregnado por confrontos morais e imperfeições; segue-se, então o terceiro, a condição do homem civilizado, marcada por interesses privados, que sufocam sua moralidade.

2 comentários :

  1. Rousseau é, sem sombra de dúvidas, um de meus filósofos favoritos. Adoro as suas ideias e o considero um dos primeiros filósofos da modernidade a pensar de modo altruísta para a sociedade, quase um socialista.
    Mas essa ideia da bondade natural do homem pra mim ainda é um pouco controversa, ainda mais quando recente pesquisa é divulgada afirmando que a evolução da mão humana se deu por causa da violência (formar punhos para socar rivais).

    Grande abraço,
    Almir Ferreira
    Rama na Vimana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Almir... Muito obrigada pela visita e pelo comentário! *-*

      Excluir